Rádio Joinville Cultural - 105,1 FM

Programa municipal da Saúde é destaque em cenário estadual e nacional

O Programa Bebê Precioso, da Secretaria da Saúde de Joinville, será apresentado nesta quarta-feira (29/5), a partir das 15 horas, na Webconferência do Sistema Catarinense de Telemedicina e Telessaúde, veiculado pela internet no link https://www.telemedicina.ufsc.br/rctm//stt/index/historico/menu/2. A WebConferência é um programa de saúde de referência, no formato de talk show, mantido pela Secretaria de Estado da Saúde e pela Universidade Federal de Santa Catarina.

A pediatra responsável pelo Programa Municipal Saúde da Criança, Fátima Mucha, irá mostrar como o programa Bebê Precioso vem incidindo na redução anual do coeficiente de mortalidade infantil em Joinville. O município tem um dos menores índices de todo o Brasil, sendo de 7,4 mortes de recém-nascidos para cada mil nascimentos em 2012, enquanto a média da taxa no Brasil é de 15,7 mortes por mil nascimentos.

Em julho, o Programa Bebê Precioso volta a ser destaque, desta vez, em cenário nacional. Com o título de “Estratégia de Vigilância à Criança em Condições de Risco – Programa Bebê Precioso”, o programa foi um dos 10 trabalhos catarinenses selecionados para ser apresentado no Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (Conasems), que acontece entre os dias 7 a 10 de julho, em Brasília.

A exposição também vai ressaltar a assistência e o acompanhamento que a unidade básica de saúde garante a todo o “bebê precioso”, desde a Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTI). Os profissionais da unidade visitam o bebê internado para identificar os fatores de risco da criança, que, normalmente, incluem a prematuridade, desnutrição, alterações cardíacas, gástricas, respiratórias e más-formações e, também, para conhecer as necessidades da criança, como, por exemplo, o uso de sondas, oxigenoterapia, gastrostomia, fórmulas lácteas e especiais.

Os profissionais das unidades de saúde já iniciam o contato com a família ainda quando a criança está na UTI neonatal e, após receber a alta hospitalar, o “bebê precioso” terá uma programação de consultas prioritárias na unidade de saúde devido à necessidade de acompanhamento em saúde diferenciada.

O Bebê Precioso integra o Programa Municipal de Saúde da Criança, conforme a pediatra Fátima. Segundo ela, Joinville oferece o Programa Pequeno Príncipe; Rede Amamenta e Alimenta; Testes do Pezinho, da Orelhinha (audição) e do Reflexo Vermelho (visão); Protocolo de Suplementos Alimentares; Vigilância Alimentar e Nutricional; Protocolo de Normatização para oferta de fórmulas especiais; e a distribuição do Kit Bem Cuidar às gestantes que fazem as sete consultas de pré-natal na unidade de saúde. “A Secretaria da Saúde também mantém a Comissão de Prevenção à Mortalidade Infantil com vários profissionais da saúde que investigam as causas das mortes de crianças menores de cinco anos”, reforça a pediatra.

Conheça os outros Programas e Ações de Saúde da Criança

Programa Pequeno Príncipe

O que é: O Programa Pequeno Príncipe foi criado pela Secretaria Municipal da Saúde com o objetivo de promover a saúde da criança de zero a 10 anos de idade, especialmente em situação de risco, diminuindo assim, a mortalidade e oportunizando um crescimento saudável. A mãe recebe a caderneta de saúde da criança ainda na maternidade, chamada de “Diploma de Pequeno Príncipe”, com materiais informativos dos passos do programa. O bebê receberá na maternidade:

- As vacinas BCG e Hepatite B;
- O teste de triagem auditiva neonatal;
- O teste do reflexo vermelho;
- Encaminhamento às unidades de saúde para iniciar as consultas de puericultura e realização do teste do pezinho

Dez passos do Programa Pequeno Príncipe

O Programa Pequeno Príncipe realiza os 10 passos para promoção e proteção da saúde da criança de zero a 10 anos de idade

1- Acolhimento da criança na Unidade de Saúde;
2- Triagem Neonatal;
3- Acompanhamento do desenvolvimento global da criança;
4- Imunização;
5- Promoção da Amamentação e Alimentação;
6- Acompanhamento do crescimento – VAN e alimentação infantil;
7- Promoção da Saúde Oral
8- Prevenção, detecção precoce e controle das doenças comuns na infância;
9- Abordagem da criança de risco;
10- Centros/ serviços de referência para o atendimento da criança.

Teste da Orelhinha

O que é: A Triagem Auditiva Neonatal (Teste da Orelhinha) é um exame simples e indolor realizado na maternidade e destinado a todos os recém-nascidos. Por ser fundamental para identificar se o bebê tem perda auditiva, o exame deve ser realizado até o terceiro mês após o nascimento do bebê. Caso ocorra alteração no teste da Orelhinha, o bebê será encaminhado para o Centrinho Prefeito Luiz Gomes, em Joinville, local especializado no diagnóstico e tratamento de problemas auditivos.

Teste do reflexo vermelho

O que é: Este teste é utilizado para a identificação de anormalidades no fundo dos olhos e também no eixo visual. O exame dos olhos é essencial para detectar problemas que resultem em cegueira e podem comprometer a vida de uma criança.
O teste do reflexo vermelho deve ser realizado na maternidade onde o bebê nasceu, preferencialmente antes da alta hospitalar pelo profissional médico.

Teste do Pezinho

O que é: Este exame deve ser realizado entre o terceiro e o quinto dia de vida da criança, independente se o recém-nascido for prematuro, ter baixo peso ou apresentar alguma alteração no quadro clínico. No teste é retirado uma pequena amostra de sangue para identificar doenças que poderão surgir, como mudanças no funcionamento da tireoide, dos rins e no sangue. A coleta pode ser feita em todas as unidades de saúde e, caso o bebê esteja internado, a maternidade faz a coleta.

Kit Bem Cuidar do Programa Pequeno Príncipe

O que é: Consiste na entrega de uma bolsa para a futura mamãe que contém álcool a 70%, gaze e termômetro, e materiais informativos sobre cuidados com o bebê. O kit é fornecido para todas as gestantes que realizarem as sete ou mais consultas de pré natal pelo SUS com registro no cartão da gestante ou pelo prontuário da unidade de saúde.

Os objetivos do kit são:

- Dispor de material adequado para higiene e cuidados do recém-nascido;
- Captar precocemente as gestantes para intervenção oportuna das intercorrências visando redução dos casos de prematuridade e da mortalidade infantil.
- Estimular a adesão integral ao pré-natal atingindo o mínimo de sete consultas, conforme preconiza o Ministério da Saúde e o Programa do Saúde da Mulher da Secretaria da Saúde de Joinville.
- Promover maior vínculo das gestantes com a equipe de saúde
- Aprimorar o controle das equipes de saúde de suas gestantes com previsão dos nascimentos mensais

Rede Amamenta e Alimenta

O que é: A Rede Amamenta Brasil é uma estratégia para abordagem do aleitamento materno na Atenção Básica à Saúde e tem o intuito de valorizar a formação de recursos humanos e de incentivar o aleitamento materno por meio de políticas públicas. A rede foi implantada em Joinville, em abril de 2011, com a parceria da área de Saúde da Criança do Estado. As unidades de saúde que aderiram à rede trabalham com a certificação do Ministério da Saúde.

Vigilância alimentar e nutricional – Sisvan

O que é: Acompanha o crescimento e desenvolvimento de crianças de zero a cinco anos por meio da aferição de peso e altura, seguindo a rotina de calendário de consultas do Programa Pequeno Príncipe.

Comissão de Prevenção da Mortalidade Infantil (CPMI)

O que é: Promove ações visando a prevenção da mortalidade infantil no município de Joinville com análise de todos os óbitos infantis, inclusive de outros municípios da região nordeste de Santa Catarina. A investigação abrange desde óbitos fetais à crianças com idade até cinco anos de idade. As investigações seguem um fluxograma com entrevista domiciliar, análise pela equipe, análise de prontuário hospitalar com encaminhamentos conforme cada caso.

Protocolo de Suplementos

O que é: Em janeiro de 2008, a Secretaria da Saúde de Joinville normatizou a oferta de suplementos alimentares para os usuários das unidades de saúde, sendo instituída a dieta enteral pediátrica e suplementos alimentares para menores de 10 anos. A alta demanda de solicitação de dispensação de suplementos e a falta de critérios definidos para o fornecimento foram levados em consideração para definição desse Protocolo.
A implantação do protocolo com critérios para dispensação passou a atender os princípios do SUS, promovendo um suporte nutricional efetivo para a redução dos agravos e melhorando o acesso à equidade

Protocolo de Normatização para Oferta de Fórmulas Especiais

O que é: O protocolo para a oferta de leites especiais para os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) segue os critérios de limite de idade e de diagnóstico pelo especialista referenciado. Pelo protocolo, promove-se um adequado suporte alimentar às crianças com patologias com redução dos agravos e com acompanhamento pelas equipes de saúde.

Maio 2013